sexta-feira, 25 de maio de 2012

Corinthians x Santos, confira o retrospecto


Embora a Conmebol ainda não confirme as datas oficiais, Corinthians e Santos devem se enfrentar nos dias 13 e 20 de junho.

O histórico geral de confrontos entre Timão e Peixe, independentemente da competição, apresenta larga vantagem para o time do Parque São Jorge. Em 301 jogos, foram 122 vitórias do Corinthians, contra 96 triunfos do Santos, além de 83 empates. O Alvinegro Praiano balançou as redes 471 vezes, contra 555 gols do rival.

 Retrospecto: 


Corinthians:

O Corinthians tem um retrospecto equilibrado em seus confrontos com outras equipes brasileiras na história desta competição. Em 10 Libertadores, o clube disputou 20 partidas contra outras equipes brasileiras, conseguindo oito vitórias, cinco empates e sete derrotas, com 23 gols marcados e 23 sofridos.Palmeiras (seis vezes), Flamengo (quatro), Internacional, Botafogo, Grêmio, Atlético/MG e Vasco, duas vezes cada, são os brasileiros que já cruzaram o caminho corintiano no torneio.

Santos :


O Santos, por outro lado, tem um retrospecto negativo em jogos com outras equipes brasileiras na Libertadores. O Peixe enfrentou 10 vezes seus compatriotas dentro da competição, obtendo apenas três vitórias, além de dois empates e cinco derrotas. Em 1963, o Peixe eliminou o Botafogo nas semifinais da competição (1 a 1 e 4 a 0); em 1984, na primeira fase, o Peixe foi goleado duas vezes pelo Flamengo (4 a 1 no Maracanã e 5 a 0 no Morumbi); em 2005, o Santos foi eliminado nas quartas de final, com duas derrotas diante do Atlético-PR (3 a 2 em Curitiba e 2 a 0 na Vila Belmiro).

Vamos definir em casa :

Não há qualquer possibilidade de o Corinthians abrir mão do Pacaembu como palco do segundo confronto com o Santos pela semifinal da Copa Libertadores.

Sabedores do burburinho que há em relação à mudança para o Morumbi para receber os dois jogos, os dirigentes do Timão resolveram cortar o mal pela raiz. Em entrevista ao LANCENET!, o diretor-adjunto de futebol Duílio Monteiro Alves avisa:

- Vamos jogar na nossa casa, que é o Pacaembu. Não temos nenhum motivo para sair de lá, nem técnico nem financeiro, nada. O Santos é o mandante do primeiro e joga onde quiser, nós não mudaremos o local do segundo jogo em hipótese nenhuma - afirmou o dirigente.




Nenhum comentário:

Postar um comentário